Ícone do site Para Além do Peso

Você sofre de outras compulsões além da alimentar?

Você sofre de outras compulsões além da alimentar?

É muito comum que quem sofre com a compulsão alimentar, também apresente outras válvulas de escape para lidar com a ansiedade, angústia e sentimentos desconfortáveis.

Compulsão por compras, uso abusivo de cigarros ou álcool, compulsão por sexo (inclusive levando a pessoa a situações de risco), compulsão pelo uso da internet ou redes sociais são comuns e frequentes em quem sofre com esse transtorno alimentar.

Mas por que acontece isso? É como se, além da comida, a pessoa usasse outros objetos para lidar com seus vazios e angústias e, assim, aplacasse seus medos e faltas.

Mas, em todos eles, é um prazer que aprisiona em um misto de autopunição e compensação pelas dores psíquicas como já falamos em outro texto: Compulsão alimentar: quando a relação com a comida é uma prisão.

Buscando preencher um buraco e sanar o tédio, a compulsão vem como uma boia de salvação contra a melancolia, a baixa autoestima e o forte sentimento de fracasso derivado do perfeccionismo (para entender mais sobre a relação entre o perfeccionismo e os transtornos alimentar, veja o texto: O perfeccionismo tem estreita relação com os transtornos alimentares).

Alimentada pela culpa e pelo sentimento de inadequação e insuficiência, a pessoa agarra-se ao objeto compulsivo como se ele pudesse salvá-la de seus vazios internos ainda que seja por alguns segundos (no momento em que se está comendo, bebendo, comprando, transando). Mas logo em seguida, a pessoa é jogada em uma enorme espiral de culpa e vergonha além de sentimento de descontrole sobre si próprio.

Somos, ao mesmo tempo, a sociedade que prega o controle e a disciplina (como atributos moralmente admiráveis do sujeito), mas que estimula o prazer a qualquer custo.

Mas o que fazer a partir disso tudo?

Primeiro, é preciso reconhecer quais sentimentos e afetos estão por trás do comportamento compulsivo. Quais raivas, traumas, medos, angústias estão encobertos por trás da compulsão?

Segundo, liberte-se do perfeccionismo e da relação de “tudo ou nada” com você mesmo (como falamos no post anterior: Como tratar a compulsão alimentar). Liberte-se da ideia de que as coisas são ou como você idealiza ou você se sente um fracasso.

Aceite suas imperfeições e defeitos como aspectos importantes seus e que carregam marcas da sua história.

Permita-se pedir ajuda e receber afeto. Você não precisa carregar o mundo nas suas costas e se vitimizar por isso.

Liberte-se desse lugar de vítima.

Perceba a sua potência, os seus desejos,a beleza na sua trajetória de vida. Você merece!

E por que não começar hoje a construir uma nova história para você?

Sair da versão mobile